terça-feira, 21 de maio de 2013

Raquel Sherazade faz seu comentário sobre o bolsa família





O boato foi mesmo maldoso. Provocou tumulto, confusão, quebra-quebra... 
Deixou aflitas milhões de famílias que dependem dessa ajuda do Governo. 

Mas, que o imbróglio sirva, ao menos, de alerta. 

E se a bolsa, de fato, acabasse?

se o poço, simplesmente, secasse?

O que seria desses milhões sem educação, sem emprego, sem profissionalização, totalmente dependentes do poder público?

O Governo diz que milhões saíram da pobreza extrema, mas que paradoxo! Esses mesmos milhões ainda dependem de ajudas sociais para sobreviver. 

Não há fórmula mágica pra vencer a miséria. Não se sai da pobreza sem trabalho, sem salário, sem ganhar, com o suor do rosto, o pão de cada dia. 

Assistência tem que ser provisória, senão vira dependência, senão gera parasitismo... 

Quem vive do bolsa-família precisa subir a um outro patamar, ganhar profissionalização, conquistar seu emprego, cuidar da própria vida.