segunda-feira, 16 de maio de 2016

Olhando assim você pensa que é uma tatuagem, mas quando descobrir vai se apavorar




Olhando para este braço, você pode dizer: “nossa, que tatuagem bacana, parece um grande ramalhete de uma destas árvores coníferas, ou algo do tipo”. Este desenho, no entanto, não foi obra de nenhum tatuador: este homem de 24 anos foi atingido pela descarga elétrica de um raio.
Este fenômeno tem um nome: Figura de Lichtenberg. Esse é o nome do cientista alemão que observou a situação pela primeira vez, no século XVIII, e descreveu as figuras “impressas” por eletricidade nas superfícies. No corpo humano, geralmente se formam nas costas, pernas e braços.
No caso do atingido da vez, Winston Kemp, a história é irônica. Ele é eletricista, correndo risco de levar descargas todos os dias, mas não foi seu ofício que ocasionou a marca. Durante uma tempestade, ele saiu de casa para tentar salvar as abóboras no seu quintal, e a mãe natureza o presenteou com essa marca.
Kemp conta que não sentiu dor nem um desconforto muito grande. Reparou que havia sido atingido por uma descarga elétrica, pois a sentiu justamente no braço, mas as marcas só apareceram cerca de uma hora depois do incidente.
Apesar de assustador, este fenômeno é relativamente inofensivo. Estas marcas nada mais são do que uma impressão deixada pela eletricidade em contato com as veias, mas o choque não causa danos significativos a elas. Mas também não deixa de causar um ferimento externo: Kemp relatou que ainda sentia dores nos braços depois de um mês. Olhando para este braço, você pode dizer: “nossa, que tatuagem bacana, parece um grande ramalhete de uma destas árvores coníferas, ou algo do tipo”. Este desenho, no entanto, não foi obra de nenhum tatuador: este homem de 24 anos foi atingido pela descarga elétrica de um raio.




publicidade