quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Quem estava por trás dos fantoches do Cococricó?




Para qualquer criança que cresceu durante as décadas de 80 e 90, ligar a televisão na TV Cultura e se deparar com programas que misturavam personagens reais, fantoches e imaginação. Em meio a várias histórias de aventura e fantasia, lições eram passadas para o público infantil com personagens que com certeza estão eternizados nas memórias de muitos.

Quem estava por trás dos fantoches do Cococricó?

Por conta da presença frequente de bonecos e fantoches em programas como Castelo Rá-Tim-Bum e Cocoricó, as equipes de bastidores contavam com diversos profissionais especializados em desenvolver e dar vida aos personagens feito de pano e outros materiais sem vida. Em vários desses programas, esses personagens compartilhavam uma origem em comum em um só ator: Fernando Gomes.
Ator e artista plástico, Fernando dirigiu vários programas infantis que utilizavam os bonecos manuais e criou personagens clássicos que fazem parte da lembrança de crianças de diferentes gerações, como o Gato Pintado, do Castelo Rá-Tim-Bum, e o Júlio, do Cocoricó.

Bastidores
Quem estava por trás dos fantoches do Cococricó?
Fernando Gomes começou a trabalhar com bonecos manuais em 1986. Até então, ele gostava do programa Bambalalão – que apresentava teatro de fantoches para crianças, dentre outras atrações –, mas não tinha experiência com televisão. Desde então Fernando já participou de programas infantis importantes da história da televisão, como X-Tudo, Cocoricó, Vila Sésamo, Agente G e Eliana & Alegria.
Para criar os personagens, Fernando se guia pelas indicações de roteiro. Elas costumam determinar algumas características do personagem, como idade, personalidade e maneirismos. A partir do estudo da apresentação, ele consegue elaborar uma voz própria. “Mas só consigo chegar a um bom resultado ao manipulá-lo, estudando a voz junto com o movimento”, explica o artista.
Em outros casos, como aconteceu no programa Cocoricó, Fernando não só dublava ou manipulava bonecos, mas acumulava outras funções. Em Cocoricó, ele dirigiu e roteirizou o programa, fazendo parte da fase de produção desde a concepção de cada um dos personagens da fazenda de Júlio, dublado pelo próprio Fernando. Como artista plástico, eu não os crio apenas no papel, mas também sei confeccioná-los”, explica o diretor, que também participa da escolha visual dos personagens.
Além de controlar fantoches, Fernando também deu vida a personagens de tamanho real. Participando da adaptação brasileira de Vila Sésamo, ele se vestia como o personagem Garibaldo e dublava cenas que não eram enviadas para o Brasil.

Outros dubladores

Quem estava por trás dos fantoches do Cococricó?
Além de Júlio, Cocoricó contava com uma série de personagens humanos e animais que visitavam a fazenda. Confira os outros nomes por trás do elenco do programa.
João – Eduardo Alves
Alípio – Hugo Picchi
Lola – Eduardo Alves
Zazá – Neusa de Souza
Astolfo – Hugo Picchi
Caco – Neusa de Souza
Lilica – Magda Crudelli
Mimosa – Magda Crudelli
Oriba – Alvaro Petersen Jr
Sapo Martelo – Enrique Serrano
Toquinho – Enrique Serrano
Vô e Vó – Fernando Gomes e Álvaro Petersen Jr
Vitória – Falcon Mantovanne
Noel – Rubinho Louzada
Dora – Neusa de Souza
Rodolfo – Enrique Serrano
Esfarrapado – Hugo Picchi
Roto – Eduardo Alves
Dito e Feito – Álvaro Petersen e Enrique Serrano
Pato Torquato – Eduardo Alves
Patavina – Magda Crudelli
Dorivaldo – Falcon Mantovanne
Agora que você já conhece um pouco mais sobre o ator, certamente se lembra de seus marcantes personagens, não é mesmo?

Fonte: Fatos Desconhecidos