terça-feira, 21 de março de 2017

6 invenções incríveis esquecidas no passado


Eu sei que livros não são exatamente populares hoje em dia, ainda mais com a existência de programas de tevê e filmes, que basicamente são o mesmo tipo de entretenimento, mas mais acessível. Apesar disso, se você gosta de ler, deve saber como é o desejo de fazê-lo no conforto da sua cama, deitado, algo que é sempre desconfortável.
A não, é claro, que você tivesse lentes como as Bed Specs, na foto que ilustra a matéria, criadas por Clarence Warner em 1936. O artefato permitia uma mudança de 70º na visão e era vendido por meros 19 dólares, mas você provavelmente jamais ouviu falar desse potencial sucesso comercial, ouviu? Se quer conhecer outros produtos como ele, que, apesar de bons, foram completamente abandonados no passado, confira nossa lista:

O navio de superfície

6 invenções incríveis esquecidas no passado
Essa geringonça era um dos muitos protótipos que prometiam percorrer o mar utilizando sua superfície submersa, algo comum no século XX. Esse na foto é o “Bola Rolante”, que funcionaria a diesel e havia sido projetado tendo em mente a exploração do Oceano Atlântico. Infelizmente, essa patente de 1933 jamais chegou às prateleiras do consumidor.

Sismoscópio Ancestral

6 invenções incríveis esquecidas no passado
Essa obra de arte é um medidor de terremotos chinês, feito em 132 (!) pelo astrônomo, matemático e engenheiro Zhang Heng. De bronze maciço e com 2 metros de diâmetro, a criação utilizava os oito dragões laterais para marcar os pontos cardeais. Cada dragão tinha bolas dentro de si, que rolavam para fora e caíam na boca dos sapos, abaixo deles, revelando em qual direção um terremoto aconteceria.
Apesar do original jamais ter sido encontrado (a foto é uma reprodução), sua réplica foi testada e mostrou eficácia incrível, devendo pouco para sismógrafos modernos.

Máquina de Antikythera

6 invenções incríveis esquecidas no passado
Considerado o primeiro computador da história, esse objeto foi descoberto em 1900, num navio naufragado perto da ilha com o nome acima. Estima-se que seja do século II antes de Cristo, e seria usado para mostrar coordenadas cartográficas e astronômicas, além de funcionar como um calendário que marcava certas datas especiais.

Vidro flexível

6 invenções incríveis esquecidas no passado
Já imaginou um vidro que não quebra, que pode ser martelado, enrolado, dobrado e rasgado? De acordo com lendas romanas, um artesão já! E, quando levou o produto ao imperador Tiberius Caesar (42 ac – 37 dc), foi morto. A razão? O imperador termia que o produto desvalorizasse os minérios nobres, como ouro e prata.
O conto ainda diz que o imperador teria deixado o material cair no chão, e ele teria apenas ficado torto. O artesão, mais tarde decapitado, teria arrumado-o com marteladas.
Até hoje tal tecnologia é simulada, e o mais perto que já chegaram foi com a empresa Corning, que em 2013 anunciou o Willow Glass, ultrafino e flexível.

Fogo Grego

6 invenções incríveis esquecidas no passado
Essa você provavelmente conhece do Game of Thrones, mas a ideia de fogo que queima na água era completamente surreal para nossos ancestrais. No século 11, bizantinos usavam a arma para destruir embarcações rivais, e atribuíam o segredo à mensagens divinas.
Pode não parecer grande coisa, mas, mesmo com substâncias como o napalm, até hoje não se sabe exatamente do que era composto o fogo grego – que, mesmo quando encontrado em navios de bizantinos mortos, nunca foi entendido por estudiosos.

Fonte: Fatos Desconhecidos