quinta-feira, 1 de junho de 2017

Por que o homem nunca voltou a lua?


Desde 1972 o homem não vai mais à Lua. As missões, que se iniciaram com Apollo 11, em 1969, finalizaram com Apollo 17, Gene Cernan, há 45 anos, e muito se tem questionado sobre o real motivo que levou o Estados Unidos da América (EUA) a, se quer, lançar algum dispositivo no espaço. Algumas especulações sobre o fim do homem na Lua foram feitas, e isso tem levado algumas pessoas a afirmarem que os americanos foram expulsos pelos extraterrestres. Outros rumores afirmam que existe uma base lunar no lado escuro da lua, o lado que nunca vemos da Terra.
Porém, o fim de viagens do homem à Lua acabou devido a mudanças nos planos e prioridades do país. Isso porque os níveis de gastos federais que a NASA havia recebido antes de 1966 haviam se tornado insustentáveis ​​para um público que se tornara financeiramente cauteloso, particularmente quando sofreram uma grande crise do petróleo em 1973, que mudou as prioridades da nação.
Por que o homem nunca voltou a lua?
As despesas no espaço estavam sofrendo restrições fiscais muito mais do que nunca, limitando a NASA à pesquisa e missões científicas nos próximos anos. Tais programas incluíram o desenvolvimento do programa Skylab em 1973, e o programa de ônibus espacial, bem como um número de sondas robóticas e satélites.
A mudança de prioridades afetou profundamente a força de vontade dos formuladores de políticas para implementar novas missões exploratórias para a Lua e para além dela. Os sonhos otimistas de chegar a Marte haviam morrido há muito tempo e, à medida que a NASA se concentrava no Ônibus Espacial, a infra-estrutura física que suportava as missões lunares desapareceu: os foguetes Saturn V já não eram fabricados e os foguetes não utilizados eram exibidos em museus.
Todo o aparato técnico e de fabricação, que tem apoiado operações militares e civis, também começou a diminuir. As negociações de limitação de armas estratégicas (SALT) e seus sucessores começaram a congelar o número de mísseis que poderiam ser implantados pelos Estados Unidos e pela União Soviética em 1972, e cada país começou a demitir-se de suas operações.

Até recentemente, as operações de vôos espaciais dos EUA estavam focadas inteiramente nas atividades da Baixa órbita terrestre, bem como admiráveis ​​programas internacionais cooperativos, como a Estação Espacial Internacional. E isso tem provocado algumas discussões, já que para algumas pessoas, ir até a Lua podem ser os maiores esforços científicos da nossa existência, já que nos permite compreender melhor a criação de nosso planeta e sistema solar e o mundo maior ao nosso redor. Além disso, isso demonstra a importância do país em investir na ciência. Porém, pelo que tudo indica não existem mais planos para um possível Apollo 18.
Até mesmo as peças utilizadas para o lançamento dos foguetes Saturno V não estão sendo mais fabricadas. Além disso, as máquinas fabricadas  e que não foram utilizadas na época estão todas em museus para apreciação do público.
Deixe aqui a sua opinião sobre o assunto. E também não se esqueça de compartilhar com seus amigos.
Fonte(s) Gizmodo