segunda-feira, 10 de julho de 2017

Brincadeiras que todo mundo já brincou dentro da sala de aula




A sala de aula foi feita para, bem, ter aulas, como o próprio nome já deixa bem claro. Apesar disso, nem sempre dá pra exigir que todos os estudantes mantenham a concentração e a dedicação nos estudos em 100% do tempo que ficam na escola. Seja por culpa do sistema de ensino, dos professores ou dos próprios alunos, a falta de foco sempre esteve presente dentro desses ambientes.
Graças à isso, vários jogos e brincadeiras sempre foram comuns em sala de aula. Às vezes podiam ser organizadas pelos professores, às vezes feitas em segredo para que eles não percebessem. De qualquer forma, o ambiente não permitia todo tipo de atividades e exigia algumas formas de diversão bem simples, utilizando no máximo papel e caneta.
Vamos relembrar algumas dos jogos que com certeza você amava praticar quando estava sem nenhuma vontade de acompanhar a aula.

1 – Batalha Naval


O princípio do jogo é bem simples: cada jogador posiciona alguns barcos espalhados num grid quadriculado de forma secreta e tenta disparar bombas que vão afundar os barcos adversários. Mas calma, o jogo não exige esforço ou ataques muito complexos, pois tudo pode ser feito numa folha de papel. Basta associar números e letras às linhas e colunas do grid e usar as referências na hora de dizer onde você quer atacar. O jogador que afundar todos os barcos do adversário primeiro é o vencedor.

2 – Forca


Uma das crianças deve escolher uma palavra e representá-la num papel com apenas risquinhos que indicam o espaço de cada uma das letras. A outra criança (ou outras, caso o jogo seja jogado com um grupo maior) deve tentar adivinhar as letras da palavra para descobrir o segredo. Para cada palpite de letra errada, um pedaço do boneco é desenhado na forca. O jogo acaba quando a palavra é desvendada ou o boneco é totalmente desenhado.

3 – Jogo da Velha


Talvez o jogo da velha seja um dos primeiros jogos que conhecemos com papel e caneta no início da vida. O jogo também conta com um grid, mas diferente de Batalha Naval, aqui ele é muito mais simples, feito com apenas quatro linhas. As partidas duram pouco tempo e terminam assim que um jogador completa uma linha – vertical, horizontal ou diagonal – de três símbolos iguais, Xs ou Os.
Se você quer se tornar um craque no passatempo, confira nosso texto que explica como nunca perder no jogo da velha e no jokenpô.

4 – Stop


Também chamado de adedonha ou adedanha, dependendo de onde você vive, esse é um dos jogos mais populares para os momentos em que as pessoas não têm acesso a muita coisa além de papel e caneta. Os jogadores decidem uma série de categorias, como nome, animal, objeto, cidade, estado ou país e sorteiam uma letra do alfabeto de forma aleatória. A partir daí, cada jogador tem que preencher todas as categorias com uma palavra que começa com aquela letra. O primeiro a terminar anuncia “STOP!” e os pontos são contados de acordo com cada preenchimento.

5 – Detetive


Esse jogo é ideal para situações em que todo mundo precisa ficar quieto e em silêncio, como numa sala de aula. Em um grupo, devem ser sorteados as funções de detetive, assassino e várias vítimas. O assassino deve tentar “matar” cada uma das vítimas por meio de uma piscadela do olho, enquanto o detetive deve tentar identificar o responsável pelos crimes. Às vítimas, resta esperar que o agente da lei seja rápido e evite que os jogadores sejam eliminados.

6 – Pontinhos


Numa folha com vários pontinhos, cada jogador faz uma pequena linha que conecta dois dos pontos. O objetivo é fechar o maior número de quadrados possíveis, sem deixar que o adversário consiga fazer o mesmo. Assim que conseguir completar um quadrado, identifique a forma geométrica com a inicial de seu nome dentro dele para poder contabilizar ao fim do jogo. Quando todos os pontinhos estiverem ligados e a folha estiver tomada por quadrados, basta contar quem conseguiu fechar mais formas geométricas.

7 – Mímicas e desenhos


Um dos clássicos de tabuleiro da infância, Imagem & Ação consistia em propor desafios de mímicas e desenhos entre os participantes. Versões simplificadas das brincadeiras também podia ser feitas em ambientes sem o jogo, como na sala de aula. Dependendo da situação, o grupo podia escolher brincar apenas com mímica ou apenas com desenhos.
Aproveite para ver se você é capaz de lembrar o nome de todos esses jogos e brinquedos de sua infância.

8 – Aviões de papel


Talvez uma das brincadeiras menos queridas dos professores. Muita gente adorava utilizar as folhas dos cadernos para tentar criar os aviões mais ousados e incríveis dentro da sala de aula, muitas vezes lançados na direção dos responsáveis por guiar as aulas. As regras de dobradura para fazer os clássicos aviões podiam variar de diversas formas diferentes, o que representava muita diferença no resultado final da qualidade do voo.

9 – Vai e volta com origami


O estranho aparato feito com dobradura de papel podia ser utilizado para dezenas de brincadeiras diferentes. A verdade é que não importava bem o resultado, o divertido era conseguir dobrar tudo certinho e ver o dispositivo funcionando quando você colocava na mão e começava a mexer os dedos. Você podia ter que escolher números, cores, letras, opções desenhadas dentro do brinquedo e tentar descobrir seu futuro, o nome de seu amor, seu desenho favorito ou quaisquer coisas que seus amigos de escola escolhessem colocar no papel.

Fonte: Fatos Desconhecidos