terça-feira, 12 de setembro de 2017

A ave mais perigosa do mundo animal


Você já ouviu falar de um ave chamada “Casuar”? Ela lembra uma mistura de ema com um peru. E assim como o avestruz, ela é uma das maiores aves que existem no planeta. Elas vivem predominantemente na Nova Guiné e na Austrália e preferem os habitats das florestas tropicais onde encontram muitas árvores e os frutos dos quais se alimentam. Sendo assim, ela é um animal importantíssimo para a natureza, como dispersador de sementes.



Para as comunidades locais, ela é um animal mitológico, que representa a força da figura maternal.
Além disso, ela também é conhecida por ser a ave mais perigosa de todo o reino animal. São famosas pela agilidade, podendo atingir até 50 quilômetros por hora e com capacidade de saltar alturas com mais de um metro e meio.

Elas aparentemente parecem aves tranquilas, mas enganam pela aparência vistosa. Todos os anos são registrados mais de 200 ataques de casuares aos seres humanos, assim também como é frequente a ameaça deles contra os cães.
Também foram relatados casos em que o casuar quebrou janelas e arrombou portas com a força de sua bicada. Chritopher Kofron, um estudioso da vida selvagem, relatou que em 1999 houve 221 casos de ataques do casuar.
Sete foram por motivos territoriais, 32 foram defensivos com a intenção de protegerem seus ninhos e ovos, e outros 109 casos aconteceram porque os seres humanos estavam alimentando essas aves. Quando a mordomia acabou, eles ficaram muito nervosos.

Eles tem uma plumagem abundante de cor negra, com penas coloridas ao redor do pescoço. A crista é um aspecto característico dessas aves, embora a sua função seja desconhecida.
Os machos e as fêmeas tem poucas diferenças, sendo as fêmeas apenas um pouco mais coloridas, um pouco maiores, porém mais fortes. Em ambos, as asas são atrofiadas e as patas possuem três dedos, assim como o avestruz.
No entanto, a característica mais impressionante do casuar e o que torna a ave de fato, mortal, é uma garra que ele possui no dedo interno. Essa garra pode ser comparada a um pequeno punhal e a sua capacidade de ataque é tão grande que pode até decepar um membro de uma pessoa.

Os machos cuidam do território com unhas e garras, literalmente. Eles atraem as fêmeas, que podem botar de 3 a 5 ovos.
Assim que fazem o seu papel, as fêmeas se afastam do ninho e abandonam o macho podendo procurar por outros parceiros.
São os machos que chocam os ninhos e vão cuidar dos filhotes durante 9 meses.
Os ovos são enormes e de coloração esverdeada. Quando comparado aos ovos de galinhas é possível perceber a enorme diferença de tamanho entre eles.

Para o homem, esses animais foram durante séculos uma boa fonte de proteína obtida através da carne e dos ovos.
Na Nova Guiné é comum a captura dessas aves ainda jovens, para o posterior abate ou consumo local. No entanto, a criação desses animais mostrou ser praticamente impossível a sua domesticação.
Outro ponto que tem levado esses animais à números críticos em termos de extinção são a caça do casuar para a utilização de suas penas. Hoje o animal é protegido por lei. Mas ainda sofre com a caça irregular e a devastação da natureza.

No vídeo a seguir você pode ver um trecho de um ataque de casuar. Fica evidente nas imagens a potência do seu ataque. Que pode ser mortal, mas é importante ressaltar: ele só atacará se sentir ameaçado.



Fonte(s) National Geographic