segunda-feira, 25 de setembro de 2017

10 animais de estimação que mataram seus donos




Animais de estimação têm sido companhia constante dos seres humanos há milhares de anos. Eles podem ser treinados para trabalhar em fazendas, como animais-guia para cegos ou até para identificar a presença de câncer em pacientes. Mesmo os animais que não são de serviço trazem alegria para seus humanos ao ponto de observar-se uma queda nos casos de depressão e problemas cardíacos em quem tem bichos de estimação.
Mas há um lado mais obscuro nessa relação homem-animal. Confira lista de 10 casos de animais que causaram a morte de seus donos sem querer:

10. O papagaio que ligava o fogão


Em setembro de 1947, a norte-americana Fannie Stewart morreu por causa de seu papagaio, Dolly. O pássaro tinha o estranho hábito de pousar no botão de ligar o gás do fogão da cozinha.
Um dia, os vizinhos de Fannie notaram o cheio de gás e ligaram para a polícia, que a encontrou caída inconsciente no chão da cozinha. E equipe de resgate conseguiu trazê-la de volta à consciência, e ela explicou que Dolly havia ligado o gás. Fannie foi levada a um hospital, mas sofreu um derrame e morreu.

9. Mordida infectada


Em 2016, um homem de 68 anos de Toronto chegou ao hospital Toronto General depois de sofrer com fraqueza, dor abdominal, suor frio e perda repentina de peso. Temendo que se tratava de sepse, uma resposta do corpo a uma infecção que danifica os próprios tecidos e órgãos, os médicos realizaram um ultrassom e descobriram que o homem tinha um aneurisma na sessão abdominal da aorta, que se rompeu. A aorta foi corrigida e o homem foi tratado com penicilina. Mesmo assim, ele faleceu de choque séptico 13 dias depois.
Na primeira consulta ao chegar ao hospital, sua esposa mencionou que ele havia sido mordido pelo gato da família quatro semanas entes. O médico que descreveu o caso, Dr. Dennis Cho, afirma que “apenas ao olhar para trás, percebemos que essa era provavelmente a chave para resolver o diagnóstico verdadeiro”.
A mordida do gato transmitiu a bactéria Pasteurella multocida, que é encontrada frequentemente na boca de animais. O homem costumava beber bastante, o que comprometeu seu sistema imunológico e aumentou o risco de complicações pela bactéria. Os médicos analisaram pedaços da aorta e confirmaram a infecção.

8. Tropeço no husky


Em suas caminhadas diárias na trilha Los Alamitos Creek Trail na cidade de San Jose (Califórnia), Beverly Head costumava ver vários ciclistas passeando com seus cães presos a coleiras ao lado da bicicleta. Ela acreditava que a prática poderia ser perigosa para os cães, que poderiam ficar exaustos sem o dono perceber ou que poderiam ser atropelados pela própria bicicleta. Mal sabia ela que isso causaria sua própria morte.
Enquanto caminhava na trilha, um ciclista e seus dois huskies siberianos passaram por ela. Uma das guias, porém, passou por trás de seus joelhos e a derrubou. Beverly bateu a cabeça no chão e o ciclista chamou por socorro. Os paramédicos a levaram com vida para o hospital e ela passou por cirurgia na cabeça, mas faleceu durante o procedimento.
A morte gerou muitos debates na cidade, e a prefeitura de San Jose decidiu alterar algumas regras de uso da trilha. Até então, os donos poderiam usar guias de até 6 metros de comprimento, mas essa distância foi reduzida para apenas 1,8 metros depois do acidente. Os usuários da trilha acompanhados de cães também devem ficar à direita da trilha, para evitar trombadas e rasteiras em outras pessoas.

7. Fonte de água fervente


No dia 20 de julho de 1981, o jovem de 24 anos David Allen Kirwan chegou ao Parque Nacional de Yellowstone com seu amigo Ronald Ratliff e o cão de grande porte do amigo, Moosie.
O trio desceu do carro perto da área termal de Fountain Paint Pot para passear perto das fontes de água quente. Quando o cão desceu do carro, porém, ele escapou do dono e correu em direção à fonte de água fervente, com temperatura de 93°C. David correu para salvar Moosie, e um outro visitante tentou impedi-lo de pular na água. David gritou: “até parece que eu não vou”, e mergulhou.
Ele não conseguiu alcançar o cão e voltou para a borda da piscina natural, onde foi acudido pelo amigo e por outros visitantes. David sofreu queimaduras de terceiro grau em 100% de seu corpo, e faleceu no dia seguinte.

6. Labrador empolgado


Perry Alvin Price era um caçador entusiasmado que amava seu cão de caça, um labrador chocolate Arthur. No dia 5 de janeiro de 2008, Perry e Arthur foram caçar com o amigo Daniel Groberg.
Perry atirou em um ganso selvagem e colocou a arma na caçamba da caminhonete para soltar Arthur do veículo para que ele fosse buscar a ave. Groberg ouviu então um disparo e correu para olhar o que tinha acontecido.
Ele encontrou Perry atingido na perna e sangrando abundantemente. A bala havia atingido sua artéria femoral e Groberg não conseguiu parar o sangramento. A dupla partiu para o hospital, mas Perry faleceu no caminho por conta da hemorragia.
Durante a investigação do trágico incidente, foram encontradas pegadas de lama caninas na arma.

5. Festa de 15 anos trágica


A adolescente mexicana Rubi Ibarra Garcia planejou uma festa de arromba para comemorar seus 15 anos. Seu pai postou um vídeo no Facebook convidando amigos e familiares para o evento, mas a configuração do post estava para “público”, e o convite se tornou viral.
Sentindo-se desafiado, o pai não tentou impedir a multidão de entrar na festa, e tentou acomodar todo mundo. Milhares de pessoas compareceram.
A festa de Rubi não podia deixar de ter a tradicional corrida de cavalos chamada “chiva”. Durante a chiva, o dono do cavalo Oso Dormido, Félix Pena, de 66 anos, pensou que todos os cavalos já haviam passado pela linha de chegada, e entrou na pista de corrida. Quando ele atravessou a pista, foi atingido em cheio pelo próprio cavalo. Félix foi atendido por paramédicos, mas morreu antes de chegar ao hospital.

4. Cachorro pé-de-chumbo


Um homem da Flórida de 68 anos, James Campbell, voltava para casa com sua esposa, Iris Fortner, na van da família. Quando eles chegaram ao portão da casa, James saiu do veículo para abrir o portão, enquanto a esposa dava a ré para estacionar a van.
Iris abriu a porta do motorista para ver onde estava o marido antes de dar a ré, mas o boxer da família correu para dentro do carro de forma estabanada e acabou pisando no acelerador. Irirs não conseguiu parar a van, e James foi atingido. Paramédicos foram chamados, mas James já estava morto.

3. Alce com excesso de hormônios


Muitas pessoas gostam de manter animais selvagens como se fossem domésticos, e nem sempre essa história acaba bem. O morador do estado de Texas, Gerald Rushton, de 67 anos, tinha vários animais selvagens atrás de sua casa. Um deles era um alce vermelho que foi criado desde bebê pela família humana.
Ao entrar no período de procriação, porém, os hormônios do animal falaram mais alto, e ele ficou agressivo. Quando os alces estão nessa fase, os machos brigam entre si para estabelecer dominância. Por isso, quando Gerald entrou em seu cercado para alimentá-lo, o alce o atacou com os chifres.
A neta de Gerald viu o ataque e chamou socorro, que precisou abater o animal para conseguir entrar no cercado. O homem foi declarado morto no local do ataque.

2. Abraço apertado


Uma mulher de 25 anos de Virginia Beach, Amanda Ruth Black, foi morta pela própria cobra python. Ela e o marido eram donos da loja Pet Paradise, e tinham vários répteis.
O marido de Amanda trabalhava na marinha e voltou de uma longa viagem marítima, quando encontrou sua esposa morta. Havia uma mensagem no quadro de recados: “dar remédio para Diablo” e a gaiola da python Diablo estava vazia.
A investigação da morte revelou que Amanda foi morta por Diablo quando tentava dar remédio para ele em uma seringa. Ela foi asfixiada por seu abraço mortal.

1. Lhama desengonçada


Florence Lenahan, uma senhora de 74 anos de Delaware, Ohio, dedicava seu tempo livre para cuidar de cavalos, lhamas, vacas, cães e gatos abandonados. Ela cuidava de vários animais em sua fazenda, mas tinha uma afeição especial pela lhama Baby Doll, que foi criada na mamadeira desde as primeiras semanas de vida.
Em um dia triste, um amigo de Florence, Kevin, a encontrou caída na frente de casa. Ela ainda estava consciente. Baby Doll havia escorregado na grama molhada ao correr para cumprimentá-la, e a derrubou. A senhora bateu a cabeça no chão de concreto.
Florence sofreu ferimentos na cabeça e no braço, e foi levada ao hospital, onde morreu por conta dos ferimentos. Kevin ficou responsável por encontrar novos lares para todos os animais do abrigo de Florence. [ListVerse]
Por: Julia