quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Dicas incríveis para quem quer parar de fumar




1 – Mascar chicletes de nicotina

Esse produto deve ser utilizado apenas quando houver crise de abstinência e muita vontade de fumar. Para não acender um cigarro, o jeito é recorrer a um desses chicletes, que liberam nicotina aos poucos – a absorção da substância ocorre depois de 20 minutos. Diferente do que acontece quando a pessoa fuma, com o chiclete a nicotina é liberada em dose baixa, apenas para controlar a fissura provocada pelo vício. A dica é mastigar o chiclete por bastante tempo, até que fique sem gosto, o que equivale a 30 minutos.
O produto não deve ser consumido por quem tem gengivite, doenças nas articulações da mandíbula nem por gestantes – para a boa formação do feto, a mulher deve interromper totalmente o uso do cigarro e de qualquer produto que contenha nicotina. Não é recomendado que a pessoa ingira qualquer bebida enquanto masca o chiclete – entre os efeitos colaterais estão náuseas, vômito, dor de cabeça e excesso de salivação.

Chiclete de nicotina.

2 – Usar pastilhas de nicotina

Sua função é parecida com a do chiclete, mas, nesse caso, ela deve ser depositada e ficar embaixo da língua até derreter. Por não exigir mastigação, como no caso do chiclete, esse produto pode ser usado por quem tem gengivite e problemas na mandíbula. As contraindicações são iguais às do chiclete, e o ex-fumante pode utilizar o produto por até três meses.

Pastilhas de nicotina.

3 – Apostar nos adesivos de nicotina

Esses adesivos precisam ser trocados a cada 24 horas e só não podem ser utilizados por gestantes. A indicação formal é que o adesivo seja usado por um período de 45 a 90 dias. Como efeito colateral, o produto pode provocar irritação na pele, insônia e pesadelo – no caso da irritação, se for muito grave, o uso deve ser interrompido; e quando há problemas de sono, o ideal é remover o produto antes de ir dormir.

Adesivos também ajudam.

4 – Usar spray nasal de nicotina

Esse produto promove a rápida absorção da nicotina e pode ser utilizado por até três meses, sendo que o ex-fumante deve aplicá-lo duas vezes por hora – quase todos os usuários apresentam irritação nasal nos primeiros dias de tratamento.

Spray de nicotina.

5 – Tomar Bupropiona

A Bupropiona é um medicamento antidepressivo que é também recomendado aos pacientes que estão parando de fumar. O ideal é que o uso do remédio seja feito uma semana antes da abstinência – entre os efeitos colaterais estão insônia e agitação. Como é um medicamento, é preciso de receituário médico para comprá-lo.

Apenas com recomendação médica.

6 – Parar sem uso de medicamentos ou repositores de nicotina

Algumas pessoas têm sucesso ao estipularem uma data para parada abrupta e, a partir daquele dia, deixam de fumar. Há também quem largue o vício gradualmente, com a diminuição do número de cigarros com o passar dos dias, o que garante uma probabilidade menor de abstinência. A redução depende da pessoa, mas o ideal é que ela aconteça dia após dia, assim como é também recomendado que o horário do primeiro cigarro do dia seja adiado – em vez de fumar às 7h, a pessoa fuma às 9h, por exemplo.
Nos dois casos, é importante marcar uma data para deixar o cigarro de vez. Acompanhamento psicológico é uma forma de manter o propósito de não fumar, uma vez que esse profissional pode ajudar o paciente a descobrir exatamente por que fuma – apesar de parecer, essa não é nem de longe uma questão simples.

Sempre há tempo de parar.

7 – Truque psicológico: deixar o ato de fumar menos prazeroso

Uma das dicas é tentar não fumar confortavelmente, enquanto toma café ou bebe uma cerveja com os colegas do trabalho. Em vez disso, tente fumar sem companhia e em um local de pouco conforto, como em pé na lavanderia. Esse exercício mostra que você é realmente dependente do cigarro, já que saiu de um lugar aconchegante, como o sofá, para ir fumar em pé em uma área isolada e desconfortável.

Vale a pena o esforço.

8 – Compreender melhor a fissura da abstinência

Em termos médicos, a fissura é aquele momento em que o paciente tem muita vontade de fumar, com a sensação de que simplesmente não vai conseguir esperar. A boa notícia é que a fissura dura em média três minutos, apenas, então a dica é procurar reconhecer esses momentos e, quando se deparar com eles, buscar uma distração, como tomar água, chupar uma bala, dar uma volta, lavar o rosto ou praticar exercícios de respiração.

Vai passar.

9 – Evitar consumir cafeína e álcool

Essas duas substâncias estão altamente associadas com o fumo e se o ex-fumante tem vontade de fumar quando bebe ou toma aquele cafezinho, o jeito é deixar de consumir essas bebidas também – em nome da saúde, compensa.
No início, nada de bares, restaurantes com áreas para fumantes e, inclusive, reuniões com amigos que fumam e/ou bebem sempre que se encontram. Se você é do tipo que não fica sem café, diminua a quantidade e só tome a bebida com leite – dá para começar a tomar chás também, mas fique de olho nos rótulos, pois muitos chás têm cafeína.

Dê uma chance ao chá.

10 – Praticar alguma atividade física

Quando seu corpo se movimenta, ele libera substâncias que dão a mesma sensação de prazer que a nicotina, só que de uma forma saudável. Uma hora de caminhada por dia já é suficiente para auxiliar o paciente que está largando o vício.

Caminhadas fazem bem.

11 – Por que mesmo você quer parar de fumar?

Porque o cigarro pode provocar vários tipos de câncer? Porque você vive fedido? Porque tem mau hálito? Porque sua família não aguenta mais o vício? Porque está cada vez mais caro fumar? Porque você quer dar um bom exemplo aos seus filhos? Independente de quais sejam seus motivos, coloque-os no papel e tenha essa lista sempre com você. Esse tipo de anotação pode ser o incentivo de que você vai precisar um dia para evitar uma recaída.

Motivos na ponta do lápis.

12 – Pedir ajuda a amigos e familiares

Dificilmente alguém que gosta de você vai ficar triste ao ouvir sua decisão de parar de fumar, então você pode contar sua decisão às pessoas mais próximas. Isso é bom porque, para não fazer feio depois de ter falado, você vai reforçar o compromisso consigo próprio.
Além do mais, explique a eles que o período é difícil e que eles precisam entender se você estiver mal-humorado e desanimado nas primeiras semanas. Com relação aos amigos que fumam, talvez seja bom que aconteça um afastamento inicial – se forem mesmo seus amigos, eles vão entender.

É difícil no começo, mas depois passa.

13 – Fazer tratamento médico e psicológico

O tabagismo é uma doença e, como tal, suas chances de cura aumentam se você contar com a ajuda de um médico – até mesmo porque só esse profissional pode receitar a Bupropiona, se for o caso. Se puder, faça também um acompanhamento psicológico, que costuma ter alta eficácia nessas situações.

Ajuda médica é fundamental.