quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

5 pessoas que morreram tirando selfies

As selfies (conhecidas anteriormente como autorretratos) estão fazendo um verdadeiro sucesso nos últimos anos. Muitas vezes casuais, as selfies são tiradas com uma câmera frontal ou num espelho, e normalmente incluem apenas o fotógrafo ou o número de pessoas que pode ficar em segundo plano (selfie em grupo).

Dizem que as “selfies” ficaram populares a partir da renascença italiana, quando este tipo de auto-representação passou a ser cada vez mais frequente, chegando a ser uma obsessão de Rembrandt. Entretanto, pessoas estão morrendo ao tentar tirar a “selfie perfeita”. Lugares inusitados e falta de atenção são os principais motivos relacionados ao destino trágico dessas pessoas.
A seguir 5 casos de pessoas que morreram por causa de selfies. Confira:

A romena que morreu eletrocutada

5 pessoas que morreram tirando selfies
Em maio de 2015, uma adolescente Romena morreu queimada e eletrocutada depois de acidentalmente tocar em um fio de eletricidade enquanto tirava uma “ultimate selfie” para postar no Facebook. O mais bizarro é que a jovem tentou tirar a foto em cima do teto de um trem.
Anna Ursu e uma amiga estavam em uma estação de trem na cidade de Iasi quando decidiram tirar uma “selfie especial” para postar no Facebook. Anna teve a “ótima ideia” de subir no teto de um trem e colocar as pernas para cima quando foi atingida por um fio de alta tensão de 27.000 volts. Ela morreu em um hospital da região.

A polonesa que caiu da ponte

5 pessoas que morreram tirando selfies
Em 2014, uma estudante de enfermagem de 23 anos de idade da Polônia quando morreu durante uma tentativa de selfie na icônica “Puente de Triana” no sul da Espanha. Enquanto ela se equilibrava na borda da ponte, Sylwia Rajchel escorregou e caiu de 15 metros de altura em estruturas de concretos. Ela foi resgatada depois de ter uma parada cardíaca no local da tragédia mas morreu mais tarde no Hospital de Traumatologia da cidade.

O homem que atirou em si mesmo

5 pessoas que morreram tirando selfies
Brincar com armas é perigoso. Usar armas enquanto se tira selfie é pior ainda e inclusive pode matar. Em 2014, um homem mexicano morreu depois de tirar uma selfie quando a arma que ele estava usando como um adereço o feriu mortalmente.
A vítima foi identificada como Oscar Otero Aguilar e tinha 21 anos. Ele era um fã de “selfies ostentação” e postava suas imagens no Facebook.  Ele já foi visto posando na frente de carros de luxo, motos caras e mulheres bonitas. Ele morreu a caminho do hospital.

A noiva que morreu tirando selfie no carro

5 pessoas que morreram tirando selfies
A noiva Colette Moreno de 26 anos, morreu em um acidente de carro em junho de 2014 à caminho da sua despedida de solteira. Ela estava no banco do passageiro quando o carro dirigido por seu amigo colidiu com um veículo em sentido contrário. Ela deixou um filho de cinco anos de idade e seu noivo, Jesse Arcobasso.

A adolescente que caiu de uma ponte tirando selfie

5 pessoas que morreram tirando selfies

Uma menina de 17 anos de idade caiu de 30 metros de altura ao subir em uma ponte ferroviária para tirar uma selfie. Xenia Ignatyeva caiu em cima de fios de alta tensão e tomou um choque de 1.500 volts. Xenia era uma fotógrafa amadora desde o final de 2013.
Sua vida foi interrompida quando ela decidiu subir a parte superior da ponte ferroviária em Krasnogvardeysky, na cidade russa de São Petersburgo.. A polícia, foi alertada por um telefonema anônimo dizendo que crianças estavam escalando a ponte. Infelizmente, as autoridades chegaram tarde demais.

Fonte: Ultra Curioso

Os piores acidentes nucleares da história

Os acidentes nucleares são uma das piores tragédias que pode acontecer com um ser humano. Devido ao medo do governo e da indústria, nem sempre é possível determinar alguns acidentes no início da história da indústria nuclear. Nos dias atuais, acidentes e incidentes que resultem em ferimentos, mortes ou séria contaminação ambiental tendem a ser melhores documentados pela Agência Internacional de Energia Atômica.
Acidentes de radiação são mais comuns que acidentes nucleares, e são frequentemente de escala limitada. Por exemplo, no Centro de Pesquisa Nuclear de Soreq, um trabalhador sofreu uma dose que era similar à mais alta dose sofrida por um trabalhador no local do acidente nuclear de Chernobil no primeiro dia. Porém, devido ao fato de que a fonte gama não era capaz de passar o invólucro de concreto de dois metros de espessura, ela não foi capaz de ferir muitos outros.
A Escala Internacional Nuclear e Radiológica de Evento usa um esquema de classificação de sete níveis para avaliar o significado de eventos nucleares e radiológicos: Níveis 1-3 são “incidentes”, e 4-7 são “acidentes”. Separamos a seguir alguns dos piores casos de acidentes nucleares. Conheça:

Chernobil

Os piores acidentes nucleares da história
O desastre é o pior acidente nuclear da história em termos de custo e de mortes resultantes, além de ser um dos dois únicos classificados como um evento de nível 7 (classificação máxima) na Escala Internacional de Acidentes Nucleares (sendo o outro o Acidente nuclear de Fukushima I, no Japão, em 2011).
A batalha para conter a contaminação radioativa e evitar uma catástrofe maior envolveu mais de 500 mil trabalhadores e um custo estimado de 18 bilhões de rublos. Durante o acidente em si, 31 pessoas morreram e longos efeitos a longo prazo, como câncer e deformidades ainda estão sendo contabilizados.
O governo soviético procurou esconder o ocorrido da comunidade mundial, até que a radiação em altos níveis foi detectada em outros países.

Three Mile Island

Os piores acidentes nucleares da história
O acidente ocorrido em 28 de março de 1979, na usina nuclear de Three Mile Island, estado da Pensilvânia nos Estados Unidos, foi causado por falha do equipamento devido a falhas no sistema secundário nuclear e erro proposital. Houve corte de custos que afetaram economicamente a manutenção e uso de materiais inferiores.
Mas, principalmente apontaram-se erros humanos, com decisões e ações erradas tomadas por pessoas não preparadas O acidente desencadeou-se pelos problemas mecânico e elétrico que ocasionaram a parada de uma bomba de água que alimentava o gerador de vapor, que acionou certas bombas de emergência que tinham sido deixadas fechadas.
O núcleo do reator começou a se aquecer e parou e a pressão aumentou. Uma válvula abriu-se para reduzir a pressão que voltou ao normal. Mas a válvula permaneceu aberta, ao contrário do que o indicador do painel de controle assinalava. Então, a pressão continuou a cair e seguiu-se uma perda de líquido refrigerante ou água radioativa: 1,5 milhão de litros de água foram lançados no rio Susquehanna. Gases radioativos escaparam e atingiram a atmosfera. Outros elementos radioativos atravessaram as paredes.

Goiânia

Os piores acidentes nucleares da história
Foi um grave episódio de contaminação por radioatividade ocorrido no Brasil. A contaminação teve início em 13 de setembro de 1987, quando um aparelho utilizado em radioterapias foi encontrado dentro de uma clínica abandonada, no centro de Goiânia, em Goiás. Foi classificado como nível 5.
O instrumento foi encontrado por catadores de um ferro velho do local, que entenderam tratar-se de sucata. Foi desmontado e repassado para terceiros, gerando um rastro de contaminação, o qual afetou seriamente a saúde de centenas de pessoas. O acidente com Césio-137 foi o maior acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo ocorrido fora das usinas nucleares.

Cochabamba

Os piores acidentes nucleares da história
Em Cochabamba um aparelho de radiografia com raios gama com defeito foi transportado num ônibus de passageiros como carga. A fonte gama estava fora da blindagem, e irradiou alguns passageiros.

Projeto Manhattan

Os piores acidentes nucleares da história
Em 1946, o físico canadense Louis Slotin, do Projeto Manhattan, realizou um experimento de risco conhecido como “cutucando o rabo do dragão” que envolvia dois hemisférios de berílio refletor de nêutrons, mantidos juntos em torno de um núcleo de plutônio levando à sua criticalidade.
Os hemisférios foram distanciados por uma chave de fendas, que escorregou e levou a uma reação em cadeia, enchendo a sala com radiação danosa e um flash de luz azul (devido à ionização do ar). Slotin, por reflexo, separou os hemisférios em reação ao flash de luz azul, evitando radiação adicional aos demais trabalhadores presentes na sala. Porém Slotin absorveu uma dose letal de radiação e morreu na semana seguinte.

Chalk River

Os piores acidentes nucleares da história
Um reator de investigação movido a urânio, água pesada e resfriado a água, sofreu um acidente semelhante ao acidente de Chernobil, só que em menor escala, ocasionado pela falha no desligamento do reator causando a fissão parcial do núcleo, explosão do vapor, destruição da cúpula de proteção do reator e liberando o material radioativo para o meio ambiente.
Uma nuvem radioativa na atmosfera e uma área para servir como destino para água radioativa do reator. A poluição radioativa mobilizou militares canadenses e americanos, entre eles um futuro presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, para ajudar a limpar a área contaminada.

Fonte: Ultra Curioso

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo

Quanto você pagaria para ingerir a bebida alcoólica mais cara do mundo? Você conhece quais são as bebidas mais caras do mundo? Algumas chegam a custar quase o preço de um carro novo.
Você sabe quais são as bebidas mais potentes e o seu país de origem? E as maiores mentiras que todo mundo acredita sobre bebidas alcoólicas? Aqui no site da Fatos Desconhecidos, nós já exibimos para você estas matérias.
Quanto será que custa a tequila, o Chamapanhe, o whisky mais caros do mundo? Você já se fez essa pergunta? Nossa redação separou para você uma listinha com as bebidas alcoólicas mais caras do mundo. Confira quais são elas:

1 – O Whisky Jubileu de Diamante 13 – $ 165.000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
O jubileu de diamante é uma criação da Johnnie Walker para celebrar o 60º aniversário da rainha Elizabeth por ter herdado o seu trono em 1952.
O decanter usado para a bebida é de cristais de Baccarat, Britannia e tem sua estrutura cravejada com diamantes de meio quilate. Existem apenas 60 unidades no mundo.

2 – Gin Bombay Sapphire Revelação – $ 200.000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
Este gin da Bombay foi feito em parceria com uma das casas de jóias mais famosas de Londres, a Garrard. O design da garrafa de gin foi projetado por Karim Rashid que a descreveu como sendo uma das criações mais elegantes do álcool no mercado.
O Bombay Sapphire foi emparelhado com safiras e diamantes e um conteúdo alcoólico de altíssimo rigor. Existem apenas 5 unidades artesanais como esta no mundo. Seu custo no mercado é de $ 200.000.

3 –  Royal Salute – $ 200.000 – $ 215.000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
Esse Whisky é uma compilação de bebidas raras e envelhecidas por 45 anos. O valor de mercado é de cerca de $ 200.000 a $ 215.000. O design da garrafa foi inspirado em homenagem às joias mais antigas nas Ilhas Britânicas, uma espécie de criação em honra à Escócia.
A garrafa ainda cota com 413 diamantes brancos e negros e 22 quilates de pedras preciosas divididas em quantidades em ouro e prata.

4 – Champanhe Armand de Brignac Midas – $ 215.000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
A garrafa de champanhe Armand de Brignac Midas custa uma bagatela de $ 215.000. Ela possui a bebida contida em uma garrafa de metal a partir do pescoço para baixo e comporta 30 litros.
A marca desta bebida foi comprada pelo cantor e empresário Jay-Z no ano de 2013. A garrafa serve muitas pessoas e tem um gosto muito elogiado pelos seus apreciadores.

5 – Tequila Pasión Azteca – $ 3000000

HACIENDA-LA-CAPILLA
Talvez o ditado popular “Dos pequenos frascos…” faça sentido com esta tequila. O CEO Fernando Altamirano foi quem cravejou a garrafa com as próprias mãos com 6400 diamantes usando ouro branco e platina. O valor dela é de nada mais nada menos que $ 3000000.
A fermentação desta bebida também é considerada de excelente procedência e perfeição. Será que pode beber uma dose dela com um limão qualquer do supermercado ou precisa que seja o limão mais caro do mundo também?

6 – Diva Vodka – $ 1000000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
O que faz esta Vodka ser considerada a mais cara do mundo não é o seu nome e sim uma junção de conteúdo líquido e a garrafa em si.
A Vodka Diva custa  $ 1000000 e é produzida por meio de um processo de filtragem triplo envolvendo até pedras preciosas de cristais Swarovski empilhados uns em cima  dos outros. Será em quanto tempo que ela deixa a pessoa embrigada?

7 – Champanhe Henri IV Dudognon Heritage Cognac – $ 2000000

7 bebidas alcoólicas mais caras do mundo
Essa garrafa de Champanhe foi mergulhada em 24K de ouro, banho de platina e uma decoração de 6500 diamantes brilhantes. Só com o dinheiro para comprar uma dessas, você conseguiria melhorar a sua vida em vários aspectos.
Seu valor de mercado é de $ 2000000 e ela foi envelhecida por 100 anos para chegar a um sabor considerado perfeito. A sua primeira data de produção foi registrada em 1776. Será o gosto é bom?

Fonte: Fatos Desconhecidos 

As 10 prisões mais perigosas do mundo

Enquanto algumas prisões são realmente muito agradáveis com televisores, trabalho fora das celas, mesas de ping pong e porções fartas de alimentos (sim, elas existem), existem inúmeras prisões (principalmente em países subdesenvolvidos), que são chamadas de “Inferno na Terra”.
Claro, há aqueles de vocês que vão dizer, os presos devem ter pensado duas vezes antes de cometer um crime. A maioria das piores prisões no mundo são criticadas por suas condições.
A seguir as 10 prisões mais perigosas e brutais do mundo:

Alcatraz, San Francisco, Califórnia

As 10 prisões mais perigosas do mundo
A ‘Ilha do Diabo’ é uma prisão que foi construída na década de 1920 e foi projetado de tal forma que a fuga era improvável. Como os internos perdiam o contato com o mundo exterior, eles foram submetidos a guardas abusivos e arrogantes.

Prisão Central de Gitarama, Ruanda

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Descrito como o inferno na terra, todos os presos foram condenados a comer, dormir, viver e morrer espremidos em celas com quatro homens por metro quadrado. Projetado para abrigar 400 pessoas, a população carcerária para mais de 7.000 pessoas em meados dos anos 1990.
Durante o genocídio de Ruanda, os presos foram deixados para morrer na prisão. Em meio a disenteria e desespero, os presos morreram de forma lenta e dolorosa.

Prisão Diyarbakır, Turquia

As 10 prisões mais perigosas do mundo
É uma das instituições penais mais sádicas e ameaçadoras do mundo. É citada como a prisão com o maior número de violações dos direitos humanos por prisioneiro. Conhecido por um grande número de casos de tortura física e mental, a prisão também ganhou notoriedade por suas condições inabitáveis e abuso sexual de presos.

Supermax ADX Florence, Colorado

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Esta prisão de segurança máxima foi construída em resposta aos ataques cometidos contra os guardas e funcionários de outras prisões na América. Os presos sofrem de tortura psicológica, levando alguns a cometerem suicídio.

El Rodeo, Guatire, Venezuela

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Durante a presidência de Hugo Chávez, as taxas de criminalidade subiram e as prisões do país ficaram superlotadas. Tortura e mortes de presos são comuns.

La Sabaneta, Venezuela

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Em um dos estabelecimentos penais mais brutais da América do Sul, a violência é uma ocorrência diária. Além de estar à mercê de doenças, alimentos e cuidados insuficientes, pouco ou nenhum serviços médicos e funcionários mal pagos, os presos também foram deixados à sua própria sorte.

Prisão de Bang Kwang, Tailândia

As 10 prisões mais perigosas do mundo
A prisão mais violenta de toda a Tailândia abriga muitos prisioneiros estrangeiros e presos do corredor da morte. Ela é conhecida por ser superlotada, falta de pessoal e ter condições de vida deploráveis.

Prisão Militar de Tadmor , Síria

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Apelidado pela Anistia Internacional como a prisão mais opressiva do mundo. O pior caso ocorreu em junho de 1980, quando o presidente Hafez al-Assad ordenou as mortes de todos os prisioneiros como retaliação à tentativa de assassinato em sua vida pela Irmandade Muçulmana.

Carandiru, Brasil

As 10 prisões mais perigosas do mundo
Foram 1.300 mortes no decorrer de seus 46 anos de história. Ela foi fechado em 2002 devido às campanhas da Anistia Internacional em meio a relatos de graves violações de direitos humanos que o governo brasileiro não poderia responder.

Campo 22, Coréia do Norte

As 10 prisões mais perigosas do mundo
O notório campo de concentração ganhou atenção internacional em 2012 depois que descobriram que presos políticos eram levados para lá desde 1965. Além disso, o campo de extermínio submeteu os presos à tortura extrema e experimentação humana onde eles se tornaram ratos de laboratório para armas biológicas como o antraz e outras brutalidades.

Fonte: Ultra Curioso

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

5 coisas incríveis que você nem imaginava que já existia

A ciência vem evoluindo a cada dia, e traz com ela muitas tecnologias incríveis. Não estou falando só doa seus celulares video games e computadores de última geração, com apps e gadgets invríveis, mas de outras invenções que você nem conhecia.
São coisas criadas para facilitar nosso dia a dia, apetrechos incríveis que vão fazer sua casa parecer uma mansão do futuro. Estão todas prestes a serem lançadas no mercado, mas ,por falta de divulgação, pouca gente conhece.
Confira 5 invenções incríveis que você nem fazia ideia que existiam:

1 – Mitto

5 coisas incríveis que você nem imaginava que já existia
Sempre que você vai aquecer alguma coisa, você acaba desperdiçando um pouco de energia. Seja por colocar líquido demais, ou aquecer a uma temperatura muito elevada. Mitto veio para revolucionar isso. É uma base de indução com uma haste de metal magnético. Quando ligado, a base cria um campo eletromagnético com a haste, o que faz o metal aquecer e esquentar qualquer líquido que você quiser, desde água para chás, à café e sopas. Você só seleciona a temperatura. É mais rápido de aquecer e mais fácil de limpar que uma chaleira convencional ou elétrica.

2 – Golchi


É a primeira garrafa multifuncional do mundo. Ela te permite armazenar líquidos quentes e gelados, e ao mesmo tempo! Você usa um lado para guardar líquidos quentes e o outro para guardar líquidos gelados. As bebidas ficam geladas por até 24 horas, e as quentes por 12. Você ainda pode colocar pequenas porções de alimentos no meio da mega-garrafa, entre os dois compartimentos. Ou, se preferir, levar apenas o lado quente ou gelado para onde quer que seja. Ainda pode também juntar os dois compartimentos para fazer um grande, e armazenar o líquido que quiser.

3 – Skyfloat

5 coisas incríveis que você nem imaginava que já existia
É o primeiro braço de teto magnético para smartphones e tablets. Funciona assim: você escolhe um lugar estratégico para fixar a haste dobrável, no teto. Ele se fixa com uma super cola. Depois, você encaixa a base e encaixa seu tablet ou smartphone, para ficar a altura e posição que você desejar. Ótimo para assistir um seriado ou filme na Netflix, ainda na cama, ou conversar com as pessoas sem o celular cair na sua cara ou seu braço cansar. Pode ser ajustado também na cozinha, sala, e até no banheiro, se preferir.

4 – JMGO View

5 coisas incríveis que você nem imaginava que já existia
É um projetor portátil inteligente que te possibilita projetar apresentações, vídeos, filmes e até fazer um mini-cinema na sua casa. Ele vem ainda com auto-falantes integrados e um sistema fácil de ajuste, para fazer sua experiência ser perfeita. Ele pesa apenas 1 kg, e tem até tecnologia de projeção 3D; só colocar os óculos específicos. Ele tem controle remoto e também suportes para superfícies.

5 – Quadrofoil

5 coisas incríveis que você nem imaginava que já existia
São embarcações elétricas que geram 0 poluentes e produzem poucas ondas na água. Elas deslizam graças à sua dinâmica estrutura e alcançam velocidades de até 40 km/h. Tem capacidade para duas pessoas e não afundam, porque tem um design oco. Ele pode ir em zonas ecológicas onde a maioria dos barcos a motos não podem entrar, e pesa apenas 100 kg.

Fonte: Ultra Curioso

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar

De repente, numa turbulenta madrugada – especificamente 1º de abril – um golpe de Estado milimetricamente arquitetado depõe um presidente acusado de “comunista” pelas elites conservadoras, e instaura no país um regime militar autoritário que perduraria por nada menos que 21 anos.
Parece uma cena de filme de Hollywood, não? Mas foi o que aconteceu no Brasil, em 1964, o golpe de Estado que ficou conhecido como ‘Anos de Chumbo’. Após uma aproximação com partidos de Esquerda e um discurso inflamado em defesa da reforma agrária e a nacionalização de empresas estrangeiras, João Goulart – ou simplesmente Jango – foi alvo de uma trama bem-sucedida partindo das elites conservadoras do país em conjunto com líderes militares e da comunicação.
Hoje, 30 anos após a derrubada de um período marcado por diversas atrocidades no país, uma crescente insatisfação com o governo atual fez com que grupos extremistas passassem a reivindicar a volta do Regime Militar, para o choque e espanto daqueles que viveram naquela época.
Veja 7 motivos para não ter saudades da ditadura militar, que provam que a falsa ilusão saudosista de que “naquela época tudo era melhor” jamais deveria justificar o protesto de alguns pela volta de um regime que proíbe protestos e a livre expressão.

1. A morte e a tortura sobre a Amazônia e índios



Com a ditadura no Brasil, um processo amplo de devastação da Amazônia teve início. O general Castelo Branco disse, certa vez, que era preciso “integrar para não entregar” a Amazônia. A partir dali, começou o desmatamento e muitos dos que se opuseram morreram.
Ribeirinhos, índios e quilombolas foram duramente reprimidos tanto ou mais que os moradores das grandes cidades, e a ideia dos militares era a de que a Amazônia era “terra sem homens”, e deveria ser ocupada por “homens sem terra do Nordeste. Nove aldeias do povo Waimiri-Atroaris desapareceram e há relatos de que pelo menos uma foi bombardeada com gás letal por homens do Exército
Também a Petrobras foi acusada de atividades irregulares, sem consulta aos povos indígenas ou mesmo informação à FUNAI, na bacia do rio Tapuá, no estado do Amazonas, com a instalação de 15 balsas com geradores de alta capacidade, dutos e máquinas de mineração.

2. Péssima saúde pública

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
Que a saúde pública atual não é boa, disso não há dúvidas. Mas acredite: ela era bem pior no Regime Militar.
O Inamps (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social) era responsável pelo atendimento, com seus hospitais, mas era exclusivo aos trabalhadores formais. Segundo o cardilogista Mário Fernando Lins, a “imensa maioria da população não tinha acesso, e somente após 1988 é que foi adotado o SUS (Sistema Único de Saúde), que hoje atende a uma parcela de 80% da população.
Em 1976, quase 98% das internações eram feitas em hospitais privados. Além disso, o modelo hospitalar adotado fez com a que a assistência primária fosse relegada a um segundo plano. Não existiam planos de saúde, e o saneamento básico chegava a poucas localidades.

3. Educação robotizada

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
As disciplinas de filosofia e sociologia (que permitiam análise, reflexão e questionamento) foram substituídas pela de OSPB (Organização Social e Política Brasileira, caracterizada pela transmissão da ideologia do regime autoritário, exaltando o nacionalismo e o civismo dos alunos e, segundo especialistas, privilegiando o ensino de informações factuais em detrimento da reflexão e da análise) e Educação, Moral e Cívica.
Ao mesmo tempo, com o baixo índice de investimento na escola pública, as unidades privadas prosperaram. Na área de alfabetização, a grande aposta era o Mobral (Movimento Brasileiro para Alfabetização), em resposta ao sistema de Paulo Freire. Paulo Freire e seu sistema de educação ajudou a erradicar o analfabetismo no mundo na mesma época em que foi considerado “subversivo” pelo governo militar e exilado.
Segundo o estudo “Mapa do Analfabetismo no Brasil”, do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), do Ministério da Educação, o Mobral foi um “retumbante fracasso.”

4. Corrupção

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
Imagine um governo sem conselhos fiscalizatórios onde a dissolução do Congresso Nacional fazia com que as contas públicas não fossem analisadas, nem havia divulgação dos gastos públicos, como é hoje obrigatório. Assim era na ditadura.
Segundo o juiz Márlon Reis, “os desvios foram muitos, mas acobertados pela força das baionetas” durante o Regime. Ele ainda afirma que, ao contrário dos anos de chumbo, hoje existem órgãos fiscalizatórios, imprensa e oposição livres e maior publicidade dos casos.
Outro ponto sempre questionado no período de ditadura foram os recursos investidos em obras de grande porte, cujos gastos eram mantidos em sigilo. Obras faraônicas como Itaipu, Transamazônica e Ferrovia do Aço, por exemplo, foram realizadas sem qualquer possibilidade de controle. Nunca se descobrirá o montante desviado. Durante a ditadura, a corrupção não foi uma política de governo, mas de Estado, uma vez que seu principal escopo foi a defesa de interesses econômicos de grupos particulares.


5. Miséria no Nordeste e migração

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
A consolidação do Nordeste como região mais pobre do país teve grande participação do governo dos militares. Com as políticas adotadas, a região viu um crescimento da pobreza.
Segundo o Professor-Doutor em Economia Regional da UFA, Cícero Péricles Carvalho, “terminada a ditadura, o Nordeste mantinha os piores indicadores nacionais de índices de esperança de vida ao nascer, mortalidade infantil e alfabetização. Entre 1970 e 1990, o número de pobres no Nordeste aumentou de 19,4 milhões para 23,7 milhões, e sua participação no total de pobres do país subiu de 43% para 53%”.
O crescimento urbano registrado teve como efeito colateral a migração desregulada. O modelo urbano-industrial reduziu as atividades agropecuárias, que eram determinantes na riqueza regional, com 41% do PIB, para apenas 14% do total em 1990.

6. Extrema desigualdade

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
A distribuição de renda entre a sociedade ficou mais polarizada durante os anos de chumbo: os 10% dos mais ricos que tinham 38% da renda em 1960 e chegaram a 51% da renda em 1980. Já os mais pobres, que tinham 17% da renda nacional em 1960, caíram para 12% duas décadas depois.
Assim, na ditadura houve um aumento das desigualdades sociais. Segundo o Professor-Doutor Cícero Péricles, “isso levou o país ao topo desse ranking mundial”.
Entre 1968 e 1973, o Brasil cresceu acima de 10% ao ano. Mas, em contrapartida, o salário mínimo (que vinha recuperando o poder de compra nos anos 1960) sofreu com o golpe. Em 1974, o poder de compra dele representava a metade do que era em 1960.

7. Tortura, repressão e “punhos de ferro” sobre a imprensa e a música

7 bons motivos para não ter saudades da ditadura militar
As torturas e assassinatos foram a marca mais violenta do período da ditadura militar. Direitos humanos eram utopia, e havia até um manual de como os militares deveriam  torturar para extrair confissões, com práticas como choques, afogamentos e sufocamentos.
Reivindicar, discordar, protestar e dar sua opinião eram coisas completamente impensáveis se você quisesse ser preso e torturado. Os agentes da ditadura perpetraram crimes contra a humanidade (tais como tortura, estupro, assassinato, desaparecimento) que vitimaram opositores do regime e implantaram um clima de terror que marcou profundamente a geração que viveu o período mais duro do regime militar.
Músicos, artistas e intelectuais que se aventuravam a questionar o Regime eram duramente reprimidos, censurados e até exilados.
Fontes: GreenMe, UOL, Só História e Ultra Curioso

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Como é a casa de Mark Zuckererg, o dono do Facebook

Mark Zukerberg é dono da maior rede social do mundo: o Facebook. Justamente por isso, ele é também uma das pessoas mais ricas do planeta. Justamente por isso, quando você pensa em onde ele mora, imagina uma mansão luxuosa cheia de coisas caras e carros importados na garagem. Porém, em vez de uma versão Riquinho Rico, a casa de Zuckerberg está mais para Tony Stark.
Ele publicou recentemente um vídeo em que mostra sua casa inteligente, chamada Jarvis (quenentendeu a referência?!). Ele descreve como a Inteligência Artificial é aplicada no seu cotidiano, e faz um tour pela sua residência. A voz de Jarvis é a de Morgan Freeman, o que deixa tudo ainda mais impressionante.

A casa de Zuckerberg é bem modesta. Não tem adornos de ouro ou coisas caras, mas aina assim é grande. Ele comprou o terreno de todas as casas em volta da sua, para poder ter ainda mais privacidade.
Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook
Ele explica que criou um sistema de inteligência artificial para controlar os utensílios domésticos de sua casa, dizer a ele as atividades de sua agenda para o dia, etc. Ele também mostra sua filha e sua esposa durante o vídeo. No vídeo, Jarvis está ensinando mandarim para sua filha, que acabou de acordar.
Em seguida ele mostra um sistema que dispara camisetas limpas ao comando de sua voz. Ao descer par a cozinha, Jarvis programa a torradeira para fazer torradas fresquinhas assim que Zuckerberg chega.
Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook
Jarvis também tem um reconhecimento facial automático, o que deixa seus amigos entrarem pelo portão de sua casa sem serem barrados.
Confira o vídeo em que Mark mostra sua casa de Zuckerberg:
Logo depois do vídeo, ele pede para os seus seguidores deixarem sugestões nos comentários, sobre o que ele deveria fazer em seguida, para complementar sua casa. Foi um momento bom de interação com os seguidores, que deveria se repetir mais vezes.
Veja imagens de alguns cômodos da residência de Zuckerberg.

Banheiro

Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook

Piscina

Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook

Sala

Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook

Quarto

Como é a casa de  Mark Zuckererg, o dono do Facebook

 Fonte: Ultra Curioso

Camaleão - Links Interessantes