terça-feira, 29 de agosto de 2017

Lugares que desaparecerão em 100 anos




Se você pudesse escolher um lugar para visitar, qual seria? Claro você tem mais de uma opção em mente, mas, será que você sabia que alguns lugares no planeta que em alguns anos poderão sumir do mapa? Ficar sabendo disso e que talvez seus netos ou até mesmos seus filhos só conheceram esses lugares em filmes e livros antigos.
Esse fator pode estar relacionados a vários motivos como: aquecimento global ou até mesmo alguns lugares que são devastados pela ganancia do ser humano.
Pensando nisso listamos alguns lugares que você deveria visitar, por que provavelmente irão desaparecer num período de 100 anos:

1 – Ilhas Malvidas


O arquipélago está localizado no meio do Oceano índico e corre um sério risco de ser um dos primeiros países do mundo a deixar de existir. Atualmente ela é composta por 1.200 ilhas e tem uma altura médias de apenas 1,20 metros acima do nível do mar. Um dos principais fatores que colaboram com o desaparecimento das ilhas é o aquecimento global e consequentemente o derretimento das calotas polares que acabam elevando o nível do mar.

2 – Polinésia Francesa


Os arquipélagos da Polinésia Francesa são considerados alguns dos lugares mais belos de todo o mundo, mas estão na lista da ONU dos lugares que infelizmente vão desaparecer graças ao aquecimento global, que ocasionará o aumento do mar, que provavelmente irá engolir as ilhas.

3 – Veneza

Em 100 anos as águas em Veneza já subiram 20 centímetros e, nesse ritmo, poderão fazer a cidade afundar.
Veneza é muito retratada em filmes românticos, como um dos melhores locais para você que quer viajar com aquela pessoa especial, mas infelizmente ela já está prevista de desaparecer desde o começo do século XX por causa do aumento do nível do mar.

4 – Barreira de Corais Australianos

A maior estrutura do mundo formada por organismos vivos, que pode ser vista até do espaço, deve sumir em até 10 anos.


Atualmente o Grande Barreira de Corais da Austrália é considera a maior estrutura do planeta formada por organismos vivos. O turismo é a principal atividade de região, recebendo milhares de mergulhadores por ano, mas, por conta do aquecimento global e do fenômeno de El Nino, os corais vêm perdendo a cor.
El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no Oceano Pacífico Tropical. Altera o clima regional e global, mudando os padrões de vento a nível mundial, afetando assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias.

5 – Ruínas de Machu Picchu

Um mero declive de apenas 1cm por mês pode fazer Machu Pichu vir abaixo completamente.
Essa Ruínas são consideradas pela Unesco como patrimônio mundial, que retrata um pouco como era o dia a dia e a cultura inca, provavelmente construído no século XV e encontrado em 1911. Geólogos japoneses afirmam que existe um declive de 1 centímetro na região todo mês, e que esse deslocamento pode destruir Machu Picchu por inteiro.

6 – Alpes

Resultado de imagem para alpes

Os Alpes é uma região muito conhecida por ser uma das principais regiões onde se pode fazer a prática do esqui durante o ano inteiro.
Localizada na Europa, esse grande sistema de cordilheiras fica em altitudes baixas, fazendo assim que fique mais perspectivável a mudanças ocorrentes no clima. Alguns cientistas fazem previsões que essas geleiras poderão sumir até 2080, pode cada ano que se passa cerca de 3% do gelo da região derrete.

7 – Geleiras de Montana


As geleiras do Parque Nacional de Montana são maciças e majestosas, mas graça ao aquecimento global dentro de alguns anos poderão ser chamados de “pequenos pedaços insignificantes de gelo na paisagem.

Fonte(s): EcoviagemUol