segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Descubra porque os presos usam uniforme laranja


Em filmes e séries, sempre vemos os presidiários vestindo um uniforme laranja. Você sabe por qual motivo? Bem, certamente não é por tendências da moda.
O primeiro uniforme penitenciário do mundo era branco com listras horizontais pretas, usado durante o período da Idade Média. Ele caiu em desuso no século 19, depois disso começaram a surgir cores mais fortes.

Aproveitando a visita, não deixe de conferir também AS 10 PRISÕES MAIS PERIGOSAS DO MUNDO.

Descubra porque os presos usam uniforme laranja

O uniforme colorido serve para facilitar a identificação dos detentos, pois casos eles fujam, seria mais difícil que eles se camuflem em ambientes como florestas e também entre prédios ou estruturas de concreto.
Descubra porque os presos usam uniforme laranja
Outra possibilidade é a de que a cor supostamente estimula os presidiários na realização das suas tarefas diárias, já que estudos sugerem que o laranja pode fazer com as pessoas tenham uma sensação revigorante. Por isso, a cor também é muito usada em embalagens de alimentos e anúncios de bebidas energéticas.
No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, o macacão alaranjado não é sempre usado no sistema prisional dos Estados Unidos. No estado do Arizona, por exemplo, os presos vestem uniformes brancos com listras pretas. Enquanto na cidade de Nova Orleans o uniforme dos detentos é branco com listras verde-oliva.
No Brasil o sistema penitenciário também não adere a cores fortes. Em São Paulo, os presos vestem calça bege e camiseta branca. Em 2014, o bege foi trocado pelo amarelo, mas a cor não parece ter agradado muito a opinião pública.
Mas no Mato Grosso do Sul, a moda das cores pegou. Desde o fim do ano passado a cor alaranjada é empregada nos uniformes de presos. Uma portaria da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário padronizou os uniformes nos presídios de todo o estado.
Além da cor, foi definido também o uso de calça comprida, bermuda e camiseta e também  a identificação da unidade prisional em que os presos estão por números, parecido com o que acontece em alguns presídios norte-americanos.

Fonte: Fatos Desconhecidos